Fisiolar

Fisiolar_escolha-consumidor-24

Programa de Intervenção Multidisciplinar para o Tratamento da Disfagia – A experiência da D. Idalina

Sexta-feira, 24 Maio, 2024

A D. Idalina, no seguimento de um AVC, necessitava de ajuda ao nível da fala e da deglutição. Como solução encontraram o novo programa híbrido da Fisiolar para o tratamento da Disfagia – “Alimentação Segura”.

Leia o testemunho da sua filha Ana e fique a conhecer as vantagens deste programa.

Como conheceu a Fisiolar?

Conheci a Fisiolar por uma questão de necessidade. A minha mãe teve um AVC e estava à procura de algo para a ajudar na questão da fala. Procurei na internet e encontrei a Fisiolar com uma solução que me pareceu interessante.
Na altura tinha falado com a terapeuta que estava a acompanhar a minha mãe na motricidade e também ela achou interessante. A Fisiolar apresentava um serviço que ajudava a conciliar a minha agenda com as necessidades da minha mãe.

Porque optou por experimentar o Programa Alimentação Segura da Fisiolar?

A necessidade que a minha mãe apresentava tinha a ver com a parte da fala e da deglutição e o Programa Alimentação Segura da Fisiolar ia ao encontro das necessidades dela. O facto de apresentarem um serviço que era prestado atempadamente, no qual se conseguia conciliar a melhoria e os resultados da mãe e que ao mesmo tempo era confortável para mim, em termos de agenda, mas também para ela. Estávamos em Janeiro e os hospitais estavam muito cheios e o facto da Fisiolar se deslocar a casa para o acompanhamento, foi algo bastante apelativo.

Gostou do programa e do seu formato híbrido?

Em termos do formato, sim.
Penso que se adaptou de uma forma muito positiva às necessidades que existiam.
O facto de a enfermeira estar presente para mostrar fisicamente alguma manipulação, algum movimento, que a minha mãe só assistindo na videoconsulta com a terapeuta da fala poderia não ter essa sensibilidade.
Por outro lado, o facto de ser online. Acho que no online somos muito mais pontuais, não temos o problema do trânsito e permite-nos fazer economias de escala.
De uma forma geral, o facto de ser híbrido e depois a intervenção de outras valências, ao nível da nutrição e da psicologia, acho que é um pacote bastante interessante e útil.

O que achou do processo de atendimento e marcação e do acompanhamento que foi disponibilizado pela equipa da Fisiolar ao longo do tratamento?

Recordo-me que houve apenas uma situação, em que vocês estavam a mudar a plataforma para outra estrutura mas eu falei convosco telefonicamente e vocês muito pontualmente ajudaram a ultrapassar a questão. A verdade é que questões técnicas podem surgir em qualquer momento.

Ao nível da parte técnica em si, correu muito bem.

Com o tratamento, quais foram as principais melhorias que sentiu na sua mãe?

Notei melhorias gradualmente tanto na parte física quanto psicológica.
Ao longo do tempo, a minha mãe foi ganhando ferramentas e eu ia trabalhando também com ela.

Na parte física, a voz dela começou a ficar clara, deixou de arrastar algumas letras e alguns sons. Por outro lado, a parte psicológica, a minha mãe percebeu que tinha ferramentas para em caso de engasgo saber como agir, ou seja, saber que se algo acontecer tem ferramentas a que pode recorrer, para a confiança dela, a parte psicológica também foi muito importante.
Estas estratégias acabam também por dar outro tipo de segurança porque ela nunca tinha passado por uma situação destas e a questão que se coloca é “Então e agora? O que é que se faz?”.

A terapeuta foi sempre, ao longo do tempo, passando, aferindo e ajustando às necessidades que estavam a acontecer no momento e isso foi muito útil e continua a ser.

Que fatores acha que contribuíram para o sucesso do tratamento?

Acima de tudo, a experiência que os terapeutas que estiveram envolvidos demonstraram e a segurança que passaram. O facto de tentarem sempre ajustar o tratamento às situações é fundamental porque cada caso é um caso e dentro do próprio caso há momentos que vão mudando e vai se sentindo mais necessidade numa coisa ou noutra.

Pareceu-me muito importante a forma como as terapeutas envolvidas foram acompanhando o processo e o foram ajustando às necessidades existentes.

Sentiu dificuldades ao longo do tratamento?

Não senti dificuldades, nem a nível técnico, nem a mãe se sentiu desconfortável. 

Foi tudo muito fluido, correu tudo muito bem.

Recomendaria o serviço da Fisiolar?

Sim recomendaria, aliás conheço pessoas que trabalham na área da fisioterapia e fui falando dos vossos serviços precisamente porque se alguém tiver necessidade, para complementar o trabalho que fazem, sem dúvida que a Fisiolar é uma referência.

Assista ao vídeo do testemunho da Sra. Ana aqui.

Tatiana Filipa Lopes Freitas

Tatiana Filipa Lopes Freitas

Terapeuta da Fala da Fisiolar, licenciada pela Escola de Saúde de Alcoitão e Pós-Graduada em Motricidade Orofacial pelo Instituto Ensino Profissional Avançado e Pós-Graduado. Trabalha com adultos e crianças com perturbações em diferentes áreas de intervenção: comunicação, linguagem oral e escrita, fala, motricidade orofacial e deglutição.

Porquê deslocar-se, se vamos ter consigo?

Uma experiência verdadeiramente conveniente e diferenciadora.
Scroll to Top