Fisiolar

Fisiolar_escolha-consumidor-24

Porque custa tanto pedir ajuda?

Quinta-feira, 20 Janeiro, 2022

Poque custa tanto pedir ajuda?

Já pensou o que terá em comum tomar banho e ir a um psicólogo?

Antes de existirem canalizações e banheiras em cada casa, não se tinha os níveis de higiene que temos hoje em dia. A falta de hábito de tomar banho dever-se-ia à falta de condições ou à falta de implementação dessa rotina? 

Como o exemplo do banho, existem muitos outros. Quando surge um problema, em primeiro lugar é preciso identificar que ele existe e que nos incomoda para conseguirmos pedir ajuda. A falta de higiene não era um problema, até começar a haver estudos sobre a sua relação com a saúde e o surgimento de doenças. Ainda assim, por vezes identificar um problema pode não ser suficiente. 

Parece-lhe estranho?

E se lhe disser que quando surgiram as pastas de dentes, as pessoas não foram correr comprá-las, apesar dos anúncios que mostravam os problemas de saúde que poderiam ter? Quando se tentou perceber porquê, o que se descobriu foi que as pessoas referiam sentir falta da sensação de frescura e de ver bolhas. Isto é, sem as bolhas, algo visível que as fizesse notar a diferença, as pessoas achavam que não valia a pena usar a pasta e que a mesma fizesse alguma diferença. Resumindo, as pessoas procuram provas de mudança, e o mesmo acontece com outros aspetos de saúde, inclusive com a saúde mental. 

Uma parte da população só vai ao médico quando não consegue adiar mais o seu problema, quando o problema é grave e já não o deixa funcionar normalmente. O mesmo sucede com a procura de apoio psicológico. Muitas vezes achamos que são coisas que acontecem com os outros e não connosco, ou que somos fortes e a vida nos vai ensinando, ou que não precisamos de alguém que nos ajude a lidar com a vida, ou que é um sinal de fraqueza. 

Felizmente, começou a apostar-se em prevenir, tal como com o médico de família.

Caso queira perceber quais os motivos que o podem levar a procurar um psicólogo, estes passam por: sintomas físicos, a dor emocional passar a física, psoríase, dermatite, diarreia, problemas a respirar, coração acelerado, entre outros. Sentir que está diferente, ou perceber que tem reações diferentes, que incomodam e que não consegue mudar, que tem relações conturbadas, seja por discussões, afastamento, dificuldade em fazer ou manter amizades. 

Outras situações que também podem ser melhoradas ao consultar um psicólogo, são por exemplo sentir que a sua vida parou após uma morte, uma relação que terminou, um despedimento ou algo que o marcou, como por exemplo a reforma. Pode também dar por si a não querer levantar-se, a deixar de ter interesse em certas coisas que fazia, a sentir-se sozinho ou não compreendido. Todas estas situações podem beneficiar da consulta com um psicólogo e se há coisa que o tempo nos foi mostrando é que os hábitos vão-se criando, as mentalidades vão mudando e a abertura para se ir ao psicólogo tem aumentado. 

Os números não mentem, houve um aumento de 200% de consultas com a pandemia. Acha que não é o seu caso, pois não sente um problema em concreto, mas ainda assim sente que podia melhorar? O psicólogo também pode ajudar nestes casos. Espero por si no próximo artigo, conto consigo com uma mão no coração e um pé preparado para a ação.

	 Lúcia Vanessa Craveiro Menezes Pereira Tavora

Lúcia Vanessa Craveiro Menezes Pereira Tavora

Psicóloga Clínica e da Saúde na Fisiolar, Neuropsicóloga, Fundadora The Pineapple Mind, Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde pela Universidade Fernando Pessoa (2020), Pós Graduação em Neuropsicologia Clínica.

Porquê deslocar-se, se vamos ter consigo?

Uma experiência verdadeiramente conveniente e diferenciadora.
Scroll to Top