Todo País

Continente e Ilhas

Todo o Ano

Em horário alargado

Fale connosco

212 841 984

PALAVRAS COM CUIDADO

Aqui vamos falar de saúde mas também vamos partilhar histórias de coragem, experiências de superação, muitas dicas de bem-estar. Vamos trocar por miúdos terminologias médicas e descomplicar temas, vamos abordar a vida que acontece e lembrar vidas que aconteceram. Aqui as palavras são escritas com o cuidado que merece.

Quando a comunicação é um problema

O João é dono de uma papelaria, por ele passam diariamente muitas pessoas. Como a Maria que tem 12 anos e gosta de comprar gomas quando sai da escola ou o Rui que tem 77 anos e vai todos os dias comprar o jornal.

O João sabe que é importante deixar que a Maria termine as frases e que não deve estar à frente das gomas quando ela está a escolher. A surdez da Maria tem impacto na sua comunicação com os outros, tal como "a surdez" do João teria se ele não facilitasse a comunicação.

Quando o Rui entra na loja vai logo buscar o jornal, ele gosta de conversar sobre as notícias da capa com o João. O Rui anda sempre com um bloco para se explicar melhor, hoje desenhou uma bola de futebol e o primeiro lugar, o clube do Rui ganhou e conversaram sobre as últimas contratações que o João ia apontando nas imagens do jornal. A afasia do Rui tem impacto na sua comunicação com os outros, tal como "a afasia" do João teria se ele não facilitasse a comunicação.

O João sabe que estar mais atento à forma de comunicar com os clientes que têm perturbações da comunicação faz a diferença.

As perturbações da comunicação podem ocorrer em todas idades durante o seu desenvolvimento (ex: perturbações do espectro do autismo, paralisia cerebral, perturbações de linguagem, surdez) ou adquiridas (afasia, disartria) por algum evento (AVC, TCE, traumatismo craneoencefálico).

Quando a comunicação é um problema?

Para a comunicação ocorrer são necessárias duas pessoas, que nem sempre têm a mesma forma de comunicação. Assim, para que se torne um momento prazeroso fluente e o mais eficaz possível, é necessária a adaptação das duas pessoas. Quantas mais ferramentas cada um de nós tiver ao seu dispor para se conseguir adaptar, melhor e mais natural será esse momento.

O que posso utilizar para facilitar a comunicação (caso seja necessário)?

  • Estar disponível para ouvir e observar o que nos pode dar informação sobre o outro, seja expressões faciais, gestos, postura corporal, palavras;
  • Passar uma mensagem clara e simples (com recurso a gestos imagens ou palavras escritas), se notar que o parceiro de comunicação pode ter alguma dificuldade em descodificar a mensagem);
  • Ter atenção à forma como falo (entoação, volume e velocidade de discurso);
  • Dar tempo de resposta ao outro e incentivar que o outro se expresse de outras formas se a fala for mais difícil (por ex.: gestos, desenhos, palavra escrita);
  • Facilitar a resposta do outro através de perguntas sim\não;
  • Verificar que entendemos a mensagem que o parceiro transmitiu;
  • Não desistir de o tentar entender;

Tudo fica mais fácil quando todos se esforçam para facilitar a comunicação, mesmo que não seja tão rápido ou fluente ou da forma mais habitual. Sabermos o que podemos fazer para facilitar já é um bom princípio.
Classifique este blog:
18
Aquele abraço
Quero família para não estar só?

Related Artigos

 

© Fisiolar - Todos os direitos reservados.