Todo País

Continente e Ilhas

Todo o Ano

Em horário alargado

Fale connosco

212 841 984

Classificação dos Recém-nascidos

Classificar o recém-nascido (RN) quanto ao seu peso, idade gestacional (IG) e estado nutricional é importante na identificação das morbilidades mais comuns nos RN. 

As alterações no crescimento do feto, tanto para mais como para menos, até o momento do parto dá-nos condições para analisar alguns distúrbios de crescimento ou alterações metabólicas. 

A identificação precoce relacionadas a classificação do RN é importante para prevenção imediata e tratamento do RN. Alguns fatores podem influenciar no desenvolvimento do feto como a idade materna; estilo de vida, alimentação, condições ambientais, hábitos, assistência pré-natal, doenças maternas, tipos de parto, gestações anteriores, entre outros. 


​Classificação do recém-nascido

No que respeita ao peso, o RN que nasce com peso abaixo de 1.000 g é classificado como recém-nascido extremo baixo peso; os que nascem com peso de 1.000 g à 1.449 g são classificado como recém-nascidos de muito baixo peso e os recém-nascidos com 1.500 g à 2.500 g são classificado como recém-nascido de baixo peso.

Quanto à idade gestacional, o RN é classificado como recém-nascido pré-termo extremo (menos de 30 semanas de IG); recém-nascido muito prematuro (de 30 à 33 semanas e 6 dias); recém-nascido pré-termo tardio (de 34 à 36 semanas e 6 dias); recém-nascido termo ( de 37 à 41 semanas e 6 dias) e recém nascido pós-termo (mais de 41 semanas).

O RN pode ainda ser classificado pelo tamanho como recém-nascido pequeno para a idade gestacional (PIG); recém-nascido adequado para a idade gestacional (AIG) e recém-nascido grandes para a idade gestacional (GIG). A classificação é feita pelo estado nutricional por meio da avaliação do peso e da IG, de acordo com as curvas de crescimento fetal padronizadas. 

As classificações servem para identificar as especificidades físicas, fisiológicas e comportamentais de cada RN, adaptando o tratamento adequado diminuindo ou eliminando as morbiidades.


A intervenção da fisioterapia em recém-nascidos

​A fisioterapia desenvolve um trabalho importante no que se refere ao estímulo neurológico e motor, na parte respiratória para o desenvolvimento e maturação pulmonar, ajudando a prevenção de doenças, remoção de secreções, atelectasias, desconfortos e insuficiência respiratórias, causados por doenças relacionadas com o período neonatal, dentro das unidades de terapias intensivas neonatais (UTINs) até o follow up do bebé de risco.


Referências 
1-Aquino-Cunha, M., Queiroz-Andrade,M., Tavares-Neto, J., Andrade,T. (2002). Pregnancy in Adolescence: Relation to Low Birth Weight. RBGO - v. 24, nº 8.
2-Araujo Filho, A.C.A., Sales, I.M.M., Araújo, A.K.L., Almeida,P.D., Rocha, S.S. (2017). Epidemiological aspects of neonatal mortality in a capital from northeastern Brazil. Revista Cuidarte; 8(3): 1767-76. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.... 
3-Arruda,D.C., Marcon,S.S. The family in expansion : Experiencing intercurrences during pregnancy and childbirth of a very low weight premature baby. (2007) Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal; 16(1): 120-8.
4-Vaz,F.A.C; Diniz, E.M.A., Ceccon, M.E.J.R., Krebs, V.L.J., (2011). Neonatologia. ed. Manole. p. 03 - 474. 5-Vasconcelos, G.A.R., Almeida, R.C.A., Bezerra, A.R. (2011) Repercussion of physiotherapy in the neonatal intensive care unit. Fisioter Mov.;24(1):65-73.
Classifique este blog:
5
A Importância da Humanização no Sistema de Saúde
A Consulta de Psicologia no Domicílio
 

© Fisiolar - Todos os direitos reservados.