Todo País

Continente e Ilhas

Todo o Ano

Em horário alargado

Fale connosco

212 841 984

PALAVRAS COM CUIDADO

Aqui vamos falar de saúde mas também vamos partilhar histórias de coragem, experiências de superação, muitas dicas de bem-estar. Vamos trocar por miúdos terminologias médicas e descomplicar temas, vamos abordar a vida que acontece e lembrar vidas que aconteceram. Aqui as palavras são escritas com o cuidado que merece.

Osteoporose - A Epidemia Silenciosa

Todos conhecemos a fragilidade, as fraturas, as costas curvadas e a perda de peso que são muitas vezes consideradas como parte de um processo normal do envelhecimento. Na verdade, estes podem ser sintomas de uma doença, a osteoporose, que pode ser evitada caso sejam tomadas certas medidas numa fase anterior da vida. 

A osteoporose resulta do enfraquecimento dos ossos devido à diminuição ou porosidade da massa óssea, fazendo com que eles se fraturem mais facilmente que o normal. Ocorre normalmente como resultado de um processo normal de envelhecimento, quando a taxa de destruição aumenta e a criação de osso novo é retardada, fazendo com que os ossos fiquem fracos e quebradiços.

Durante a infância e a adolescência, os ossos não só crescem como também ficam mais sólidos. Por volta dos 25 anos de idade, a quantidade de osso do esqueleto atinge o seu máximo, a isto dá-se o nome de «auge da massa óssea». Por volta dos 40 anos a quantidade de massa óssea do esqueleto começa a diminuir tanto nas mulheres como nos homens, até ao resto da vida.

O risco de desenvolver osteoporose depende da quantidade de massa óssea que o indivíduo possuí enquanto jovem adulto e também da rapidez com que a perde mais tarde, ao longo da vida. Qualquer pessoa pode sofrer de osteoporose, mas algumas correm um risco mais elevado que outros. Em todos os indivíduos, o risco de osteoporose depende de uma combinação de fatores, incluindo a sua idade, sexo e raça e outros fatores do tipo:


Genéticos

  • Raça Branca
  • Sexo Feminino
  • Magreza
  • História familiar de Osteoporose

Nutricionais

  • Deficiente ingestão de alimentos ricos em Cálcio
  • Ingestão excessiva de cafeína, coca-cola, álcool, 

Ambientais

  • Sedentarismo / Imobilização
  • Tabaco
  • Café
  • Deficiente exposição à luz solar, proteínas e sódio

Medicamentosos

  • Corticoesteróides
  • Anticonvulsionantes

A prevenção da osteoporose passa então por 2 pilares essenciais, a maximização do pico de massa óssea por um lado e a prevenção da perda de massa óssea por outro. Listam-se algumas estratégias para alcançar estes dois objectivos:

  • Preze hábitos de vida saudáveis - combata o tabagismo, o consumo excessivo de cafeína e de álcool;
  • Pratique exercício físico regularmente, durante toda a vida, mas é importante o inicio na infância e adolescência. Faça uma caminhada com passo vigoroso durante 30m ou obrigue-se a caminhar um pouco mais no dia-a-dia, estacione o carro um pouco mais longe, desça na paragem anterior...; 
  • Tenha uma alimentação rica em cálcio. A quantidade de cálcio recomendada nos adultos é  entre os 800 e 1000 mg por dia. Os alimentos ricos em cálcio são os produtos lácteos ((leite, iogurte, queijo), os legumes verdes, os cereais e o pão;
  • Apanhe sol moderadamente. Os raios solares asseguram a síntese da vitamina D no organismo, sendo esta  indispensável para uma boa absorção do cálcio nos intestinos; 
  • Tenha cuidados com a medicação, sobretudo corticoesteróide e anticonvulsionante;
Classifique este blog:
5
O Envelhecimento da População e o Papel da Fisiote...
A problemática das quedas na população idosa
 

© Fisiolar - Todos os direitos reservados.