Todo País

Continente e Ilhas

Todo o Ano

Em horário alargado

Fale connosco

212 841 984

O que é a Artrose? Sinais, sintomas, evolução e tratamento

A Artrose, ou Osteoartrose, é um síndrome reumatológico que ocorre na degenerescência articular progressiva, caracterizada por alterações destrutivas da cartilagem articular e alterações reactivas do osso de etiologia diversificada. A artrose pode ser classificada como primária ou idiopática, atingindo normalmente mais do que uma articulação, o que representa mais de 70% dos casos, ou pode ser classificada como secundária, geralmente resultante de uma doença ou traumatismos prévios e , abrange, na maioria dos casos, apenas uma articulação.

Até aos 45 anos de idade atinge maioritariamente o sexo masculino, tornando-se prevalente na mulher após essa faixa etária. As articulações mais afectadas são, por ordem decrescente: as interfalângicas distais, a metatarso-falângica do hallux, joelho, carpometacárpica do polegar, interfalângicas proximais e anca.

A protecção insuficiente aos impactos lesiona a cartilagem articular por um lado, havendo uma menor distribuição das forças, devido à menor superficie de contacto, por outro lado provoca alterações ósseas por microfracturas ósseas de condensação, o que leva à perda de capacidade de absorção dos impactos. Estas alterações provocam o aumento do stresse cartilagíneo, ocorrendo fragmentação e fissuração cartilagíneas, provocando degenerescência articular e destruição enzimática.

Factores de Risco

Os factores de risco da artrose são variados: factores biomecânicos como trauma, overuse e outros, tais como hereditariedade, obesidade, hipermobilidade, osteoporose, tabagismo, doenças sistémicas.

Sinais

  • Pontos dolorosos periarticulares
  • Edema marginal da articulação
  • Crepitação
  • Sinais inflamatórios moderados
  • Restrição dolorosa do movimento
  • Rigidez da articulação
  • Instabilidade ( destruição severa do osso/articulação)

Sintomas

1. Dor

A dor relacionada com o movimento é o sintoma mais importante na artrose. Estudos longitudinais indicam grande variação da intensidade da dor ao longo do dia e da semana ( pior ao fim do dia e no final da semana ). É referida também dor nocturna e em repouso. A dor pode começar alguns minutos após o inicio da actividade, e manter-se durante horas após o cessar da mesma. Parece haver uma correlação positiva entre a ansiedade e a severidade da dor e a depressão. As principais causas da dor são:

  • Factores mecânicos locais -  as alterações e irregularidade das superfícies articulares vão colocar em stresse anómalo ligamentos, cápsula e outras estruturas periarticulares, durante o movimento  
  • Aumento da pressão intra-óssea - pode resultar na obstrução da circulação venosa o que explica a dor em repouso e nocturna.
  • Sinovite - pode contribuir para a dor
  • Musculares - a disfunção muscular pode ser um dos factores que contribuem para a dor
  • Mecanismos de dor central - Os estudos de Summer et al, apontam para um componente de dor central nos utentes em que a ansiedade e a depressão amplificam a dor. 

2. Rigidez

A sensação de rigidez no inicio do movimento ou após um período de repouso é referida na maioria dos utentes.

3. Perda de movimento

A perda de amplitude articular (ROM) é geralmente acompanhada de dor, que piora no final da amplitude disponível. O espessamento capsular, os osteófitos e as alterações da cartilagem parecem ser a causa da diminuição da ROM.

4. Sensação de instabilidade e insegurança

O sintoma não é necessariamente acompanhado de sinais evidentes de instabilidade ligamentar ou destruição articular. A fraqueza muscular e a diminuição a proprioceptividade podem contribuir para uma sensação de insegurança.

5. Limitações funcionais

A dor, a diminuição da força e das amplitudes articulares são os factores que contribuem mais para a limitação da função. McAlindon et al sugerem que a diminuição de força do quadricipete está mais fortemente correlacionada com problemas funcionais, do que dor.

Evolução

A evolução da artrose difere em função do utente, da articulação envolvida, sendo difícil generalizar. Na maioria dos casos a evolução demora anos, e os utentes conseguem ter uma vida activa sem grandes problemas. A predição da evolução da doença é difícil uma vez que depende de vários factores que a podem influenciar, tais como:

  • Idade, sexo, raça
  • Associações- obesidade, etc
  • "Overuse" da articulação
  • Diminuição da força
  • Alinhamento e estabilidade articular
  • Resposta da sinovial e do osso
  • Factores psicológicos e sociais

Tratamento

A artrose não tem cura, ainda assim o seu tratamento visa a manutenção da qualidade de vida dos pacientes, tendo como objectivos aliviar os sintomas, minimizar a incapacidade, limitar a evolução da doença, educar e aconselhar convenientemente cada paciente, passando por:

  • Promover a economia articular
  • Nutrição adequada
  • Uso de calçado adequado
  • Termoterapia / Crioterapia / Hidroterapia
  • Correcção dos desequilíbrios mio-fasciais
  • Relaxamento
  • Fortalecimento muscular
  • Incentivar a prática regular de exercícios físicos adequados a cada utente
  • Ajudas técnicas
O tratamento cirúrgico ​é uma opção que surge quando o paciente cumpre critérios específicos e entre as procedimentos cirúrgicos disponíveis temos por exemplo a lavagem intra-articular via artroscópica, o desbridamento, a reparação de tecidos moles e capsulares, a artrodése, a osteotomia e a artroplastia.
Classifique este blog:
16
Reabilitação Cardíaca em Insuficiência Cardíaca
Prótese Total do Joelho e a Intervenção do Fisiote...

Related Artigos

 

© Fisiolar - Todos os direitos reservados.