Fisiolar

Fisiolar_escolha-consumidor-24

Empatia

Sexta-feira, 7 Outubro, 2022

Na área da saúde a empatia é fundamental para estabelecer uma relação de confiança entre o paciente e o profissional de saúde. Esta empatia que surge de um sorriso, da compreensão, da forma de escutar com atenção as queixas e angustias dum paciente, de não julgar mas apoiar, é inegavelmente tão fundamental como qualquer tratamento ou terapia. É quando os pacientes partilham a opinião sobre um profissional ou serviço que podemos medir o nível de empatia gerado.

Mas e no nosso dia-a-dia como podemos ser mais empáticos?

Numa conversa entre familiares foi lançado o tema: Empatia. Antes de qualquer coisa, foi feita a seguinte pergunta – “Sabem o que é a empatia?” – ao que quase todos responderam que sim, mas ao pedir a sua definição já nem todos sabiam o que dizer… Alguém definiu como “é colocares-te no lugar do outro e tentares entendê-lo”, acrescentando “mesmo que não estejamos de acordo ou que não gostemos da pessoa”.

Entendido o conceito, em seguida surgiu a segunda pergunta – “Acham que a empatia é importante?” – e com ela veio a típica resposta do “Depende … “. E tantos outros se questionaram “Depende? Do quê?”. Alguém fundamentou que dependia se fosse em contexto pessoal ou geral. Ou seja, de uma forma geral, e para se viver em sociedade, sendo que é algo inevitável, é importante que exista empatia, que exista esse respeito, compreensão e aceitação pela realidade de cada um, principalmente dado o contexto atual. Contudo, a nível pessoal, a opinião muda. Inegavelmente é importante haver empatia, mas não a qualquer custo, é importante que exista um equilíbrio pois não podemos apenas ouvir e compreender os outros e esquecermo-nos de nós próprios e dos nossos problemas.

Então e em que tipo de ambientes é importante ou não ser empático?

Para além da área da saúde que foi mencionada anteriormente, em ambiente escolar ou noutras áreas profissionais, a empatia é essencial. Se soubermos compreender e aceitar diferentes pontos de vista, conseguimos também expor melhor as nossas ideias sem invalidar as contribuições de cada colega e dessa forma crescer e aprender. Por outro lado, com amigos ou família, se tentarmos compreender o outro, como resultado haverá mais tolerância, paciência e apoio. Haverá do mesmo modo mais confiança pois daremos espaço ao outro, garantindo que será ouvido e a sua realidade será assim também tida em conta. 

Surgiu ainda um tópico interessante: a educação. É necessário e importante haver empatia na educação? Será que nos devemos tentar colocar no lugar de um bebé, uma criança ou um adolescente? E porque não? Porque não podemos tentar perceber o que um bebé ou uma criança está a sentir para fazer isto ou aquilo? Com este tópico surgem diferentes opiniões sobre o respeito, a educação, entre outros. Existem diversos tipos de educação, é um facto, mas o respeito e a empatia devem fazer parte de todos eles, não só dos filhos para com os pais mas também o contrário.

A empatia é algo fundamental, é um pilar para qualquer relação. É importante que todos nós, antes de agirmos, pensemos no outro, não nos esquecendo de nós próprios, mas tentando compreender a sua realidade colocando-nos no seu lugar.

Em outras palavras, se todos formos mais empáticos, o nosso dia-a-dia será mais saudável, a convivência será mais agradável. Vivemos num mundo de diversidade em que se tentarmos, nem que seja só por um bocado, colocarmo-nos no lugar do outro, aprenderemos alguma coisa.
Irina Carvalho

Irina Carvalho

Porquê deslocar-se, se vamos ter consigo?

Uma experiência verdadeiramente conveniente e diferenciadora.
Scroll to Top